Resenha: Lobo Por Lobo – Ryan Graudin

Título: Lobo Por Lobo
Autor(a): Ryan Graudin
Editora: Seguinte
Páginas: 360

Sinopse: O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão? – via Skoob


“Lobo Por Lobo” é um livro de guerra misturado com um pouco de distopia, já que a autora imagina um mundo onde o Eixo ganhou a Segunda Guerra e o comando do mundo ficou nas mãos da Alemanha de Hitler e do Japão.

Yael e mãe foram levadas a um campo de concentração quando a garota ainda era pequena e logo de cara Yael chama a atenção de um médico que procurava cobaias para suas experiências no campo. O médico começa a experimentar em Yael um tipo de soro que tem como função tornar as pessoas arianas (ou seja, brancas, loiras e de olhos claros). Até que um dia Yael percebe que o soro deixa ela se transformar em qualquer pessoa que ela vê e ela usa esse poder para fugir do campo.

Anos mais tarde, Yael é parte da resistência que tenta derrubar Hitler e sua missão é matar ele. Para isso ela deve se passar por uma famosa corredora e participar do Tour do Eixo, uma corrida de motos que começa na Alemanha e depois de vários dias termina no Japão. Quem ganha a corrida vai a uma festa com Hitler e é aí que Yael precisa colocar seu plano em ação.

Não aguento mais falar isso, mas sim eu li mais um livro de guerra. “Lobo por Lobo” não foca na Guerra e sim nas consequências desastrosas de uma guerra ganha por Hitler, e eu gostei bastante dessa abordagem. Além disso a autora mistura elementos sci-fi que tornam a história ainda mais interessante. A trama tem um ritmo bom e equilibra bem as partes mais dramáticas com as frenéticas corridas de moto.

A protagonista é forte, tem um passado trágico e é feita para o leitor torcer por ela desde o começo, mas por algum motivo demorei para me conectar com ela. Os personagens secundários também são bem interessantes e a autora vai desenvolvendo eles aos poucos. Um exemplo disso é Luka, um corredor alemão que me irritou profundamente nos primeiros capítulos em que aparece, mas ao final do livro eu já estava totalmente apaixonada por ele.

O único problema que e encontrei na historia é o final. Não é um final ruim, mas tem um plot twist feito exclusivamente para render mais um livro. É legal ler mais sobre um mundo que gostei, mas tenho medo que a autora enrole muito nesse segundo livro fazendo com que a historia fique clichê e desinteressante. Fora isso, é um livro que eu recomendo para todos os leitores.

4.5/5

Anúncios

Resenha: Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

Título: Mitologia Nórdica
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Páginas: 288

Sinopse: Na mitologia nórdica, Gaiman permanece fiel aos mitos ao prever o maior panteão dos deuses nórdicos: Odin, o mais alto dos altos, sábios, ousados ​​e astutos; Thor, filho de Odin, incrivelmente forte, mas não o mais sábio dos deuses; E Loki-filho de um irmão de sangue gigante para Odin e um malandro e insuperável manipulador. Gaiman modela essas histórias primitivas em um arco romântico que começa com a gênese dos nove mundos lendários e mergulha nas façanhas de deidades, anões e gigantes. Uma vez, quando o martelo de Thor é roubado, Thor deve disfarçar-se como uma mulher – difícil com sua barba e enorme apetite – para roubá-lo de volta. Mais pungente é o conto em que o sangue de Kvasir – o mais sagaz dos deuses – se transforma em um hidromel que infunde bebedores com poesia. O trabalho culmina em Ragnarok, o crepúsculo dos deuses e o renascimento de um novo tempo e de pessoas. – via skoob


Meus conhecimentos em mitologia nórdica se resumem em ver o Thor quebrando xícaras nos filmes da Marvel e ver o Ragnar xingar o Loki a cada tempestade em “Vikings”. Por isso fiquei muito feliz quando soube que o melhor escritor que você respeita ia lançar um livro narrando os melhores contos dessa mitologia e corri para ler assim que possível.

Gaiman começa o livro com uma pequena introdução explicando a dificuldade em encontrar informações sobre a mitologia nórdica, já que muita coisa foi perdida ou destruída ao longo dos séculos. Assim ele reuniu tudo que encontrou em vários anos de pesquisas e escreveu os contos com suas próprias palavras e sua escrita com aquele toque de magia.

O livro é dividido em diversos contos não muito longos, esses contos começam com o início dos tempos e a criação dos deuses e dos nove mundos, e acabam com o Ragnarok, que é a destruição de tudo e a morte dos deuses. Alguns contos são focados em personagens e mostram a personalidade de cada deus, principalmente Thor e Loki, e a relação sempre conturbada entre eles. Outros mostram a criação de objetos mitológicos como o famoso Mjolnir (o martelo de Thor).

Como já disse, não sabia muito sobre mitologia nórdica então eu amei o livro. Foi muito interessante entender um pouco mais sobre essa mitologia tão rica e cheia de ensinamentos, Gaiman escreve de uma forma tão magica e fluida que é possível acreditar que aquilo tudo está realmente acontecendo em algum lugar.

Os personagens são cativantes e apesar de amar a coragem e a força do Thor, eu gostei mesmo é do Loki. Loki vive em constante confusão, uma hora ele ajuda os deuses e logo em seguida é capaz de causar catástrofes, essa duplicidade do personagem é incrível de ler e dá vontade de aprender muito mais sobre ele.

O livro é uma ótima dica para todos os leitores e é obrigatório para os fãs do autor. Acredito que até quem já conhece bastante da cultura nórdica vai se divertir bastante durante a leitura.

5/5

Resenha: Matéria Escura – Blake Crouch

Título: Matéria Escura
Autor: Blake Crouch
Editora: Intrínseca
Páginas: 352

Sinopse: Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para uma usina abandonada e deixado inconsciente. Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: “Bem-vindo de volta, amigo.” Neste novo mundo, Jason leva outra vida. Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua família e tudo que ele conhece por realidade? Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar a vida com que sonhamos. – via skoob


Jason Dessen tem a vida que muitos considerariam perfeita, ele tem um bom emprego como professor universitário de física, uma esposa com um talento incrível para as artes e um filho adolescente que quase não traz problemas. Jason é feliz com sua vida e com sua família, mas sempre se lembra da decisão mais importante do seu passado: a escolha entre assumir o seu possível filho com Daniela e ter uma vida normal ou recusar a paternidade e continuar estudando e viajando o mundo em busca de um tão sonhado reconhecimento na sua profissão.

Num dia como outro qualquer Jason é sequestrado e dopado, ao acordar ele se vê num mundo quase igual ao seu, exceto pelo fato de que ele escolheu a outra opção. Daniela não é sua esposa, ele não tem um filho e é um gênio da física reconhecido internacionalmente. Mesmo tendo realizado seu sonho nesse estranho universo, Jason luta para encontrar uma forma de voltar para sua vida normal e sua família.

“We’re more than the sum total of our choices, that all the paths we might have taken factor somehow into the math of our identity.”

Sendo uma pessoa de humanas, tinha um certo preconceito com um livro em que eu dependia de entender física para acompanhar a trama, mas assim que comecei a leitura percebi que o autor consegue explicar todos os conceitos físicos de uma forma fácil e que faz sentido.
Juntando essa escrita gostosa de ler com plot twists chocantes, a leitura flui maravilhosamente bem e acabei o livro querendo mais. Os personagens são extremamente cativantes e reais, Jason é um cara inteligente e apaixonado que de repente precisa enfrentar as consequências todas as escolhas que fez na vida. Daniela representa o leitor que precisa buscar as explicações para conceitos que parecem tão simples para Jason.

“Matéria Escura” é um livro que mistura e forma bem equilibrada sci-fi com romance e que vai agradar os fãs de ambos os gêneros literários. A parte sci-fi é bem explicada e desperta o interesse do leitor para aprender mais sobre universos e multiversos. Já o romance tem aquele senso de aventura, mas não deixa de ser real e faz o leitor torcer muito pelo casal. Fica a dica de um livro diferente e interessante.

“The most beautiful thing we can experience is the mysterious.”

5/5

Resenha: Confissões do Crematório – Caitlin Doughty

Título: Confissões do Crematório
Autor(a): Caitlin Doughty
Editora: Darkside Books
Páginas: 260

Sinopse: Ainda jovem, Caitlin conseguiu emprego em um crematório na Califórnia e aprendeu muito mais do que imaginava barbeando cadáveres e preparando corpos para a incineração. A exposição constante à morte mudou completamente sua forma de encarar a vida e a levou a escrever um livro diferente de tudo o que você já leu sobre o assunto. Confissões do Crematório reúne histórias reais do dia-a-dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos filosóficos, históricos e mitológicos. Tudo, é claro, com uma boa dose de humor. Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, ela desmistifica a morte para si e para seus leitores. O livro de Caitlin – criadora da websérie Ask a Mortician – levanta a cortina preta que nos separa dos bastidores dos funerais e nos faz refletir sobre a vida e a morte de maneira inteligente, honesta e despretensiosa – exatamente como deve ser. Como a autora ressalta na nota que abre o livro, “a ignorância não é uma bênção, é apenas uma forma profunda de terror”. – via Skoob


Caitlin Doughty sempre teve uma estranha curiosidade pela morte desde que teve contato com ela quando era pequena, conforme ela foi crescendo essa curiosidade foi aumentando e Caitlin passou a estudar a morte através da história e como as diferentes culturas lidam com seus mortos.

Aos 23 anos, Caitlin começou a trabalhar em um crematório para tentar entender e assim revolucionar a forma como os americanos encaram a morte. Nos primeiros dias do emprego novo, Caitlin enfrenta algumas dificuldades devido a falta de experiência na prática funerária e cada dia traz uma surpresa e um aprendizado novo que ela achou nunca ser possível.

Confesso que nunca achei que leria um livro sobre um crematório, mas aqui estou eu fazendo uma resenha sobre ele. “Confissões do Crematório” traz fatos marcantes da carreira da autora e mostra todo o funcionamento de uma crematório americano desde a retirada do corpo de onde quer que ele esteja até as cinzas entregues a família ou esquecidas nas prateleiras.

Ao mesmo tempo a autora dá um panorama histórico sobre a morte de um jeito bastante didático e inclui os rituais e cerimonias de diversas culturas ao redor do mundo, é interessante a forma como ela leva o leitor a abrir a mente e entender essas culturas por mais diferentes que elas possam parecer.

O grande destaque do livro é a escrita leve e em alguns momentos divertida de Caitlin. Com um tema pesado como a morte seria fácil escrever um livro sombrio, mas Caitlin consegue o efeito contrario, ela joga uma luz sobre o tema e faz o leitor encarar a própria mortalidade enquanto deixa a reflexão de que devemos tratar a morte com naturalidade e principalmente respeito.

4/5

Resenha: Front Lines – Michael Grant

Título: Front Lines
Autor: Michael Grant
Editora: Katherine Tegen Books
Páginas: 576

Sinopse:  World War II, 1942. A court decision makes women subject to the draft and eligible for service. The unproven American army is going up against the greatest fighting force ever assembled, the armed forces of Nazi Germany. Three girls sign up to fight. Rio Richlin, Frangie Marr, and Rainy Schulterman are average girls, girls with dreams and aspirations, at the start of their lives, at the start of their loves. Each has her own reasons for volunteering: Rio fights to honor her sister; Frangie needs money for her family; Rainy wants to kill Germans. For the first time they leave behind their homes and families—to go to war. These three daring young women will play their parts in the war to defeat evil and save the human race. As the fate of the world hangs in the balance, they will discover the roles that define them on the front lines. They will fight the greatest war the world has ever known. –  via Skoob


“Front Lines” se passa durante a 2 Guerra Mundial em um universo igual ao nosso, mas com apenas uma diferença: as mulheres foram convocadas para lutar na guerra junto com os homens. O livro apresenta três dessas garotas e os desafios e medos que cada uma delas enfrenta para ser respeitadas.

“This is life: choices, mostly between bad and worse.”

Rio Richlin mora em uma pequena cidade americana em que nada acontece, depois de uma tragédia em sua família, Rio e sua melhor amiga Jenou decidem se alistar no exercito e logo são enviadas para o treinamento. Rio tem medo de perder a inocência por ter crescido no interior e ao mesmo tempo quer provar que ela consegue lutar como qualquer outro soldado.

Frangie Marr se alista no exército para conseguir dinheiro e impedir que sua família perca a casa. Sem querer realmente lutar, Frangie planeja ser médica e ajudar os feridos no campa de batalha. O grande problema é o preconceito que a garota enfrenta por ser negra, sendo assim, ela precisa lidar com tudo que ela sofre na mão dos outros soldados sem poder reclamar.

Rainy Schulterman é uma inteligente garota judia que se alista no exército para vingar o que os nazistas estão fazendo com seu povo. Logo o exército percebe sua inteligência e ela é convidada para um série de cursos especializados.

“Will you understand if I tell you that there are times when it is better to feel the pain yourself than to see it and hear it in another?”

Olha que novidade, mais um livro de guerra. Eu amo ler sobre esse assunto e comprei esse livro porque estava muuuuito barato, mas não tinha nenhuma expectativa para ele. Para minha felicidade eu amei o livro, as personagens são incrivelmente carismáticas, a trama flui muito bem entre a “ficção” criada pelo autor e batalhas reais da guerra.

O desenvolvimento das protagonistas é visível graças aos desafios extremamente reais que elas tem que enfrentar durante a historia. principalmente o preconceito por elas serem mulheres em um ambiente antes dominado pelos homens, tudo para as três é mais difícil, elas que provar que merecem estar ali enquanto os homens automaticamente viram heróis ao serem convocados.

A única reclamação (que não é bem uma reclamação) é que eu achei que já ia saber o final da historia das garotas, mas quando cheguei ao final da leitura descobri que tem mais um livro. Então que venha “Silver Stars”!!!

“First, love. Love above all. Love for the ones who love you, love for the ones who hate you. That’s pretty hard to follow if you’re in a war.”

5/5

Lidos e Comprados de fevereiro de 2017

Fevereiro é mês de muito carnaval e poucas leituras. Entre um bloco e outro li apenas 4 livros inteiros e abandonei um na metade. Continuei ignorando a meta de não começar mais séries novas e comecei duas, uma planejada e a outra eu só descobri que tinha mais livros quando terminei a leitura. ¯\_(ツ)_/¯

As leituras:

lidos-fevereiro-2017

“Clube da Luta 2” é uma HQ que me deixou completamente confusa durante a primeira leitura, por isso li mais duas vezes para conseguir acompanhar a trama e finalmente entendi. Gostei bastante dessa “continuação” de um dos meus livros favoritos da vida. Estava enrolando para ler alguma coisa do universo expandido de Star Wars e entre tantos livros, “Estrelas Perdidas” foi o que mais me chamou atenção e eu acabei amando ele, os personagens são interessantes e a trama apesar de ser simples surpreende o leitor. Além disso é muito legal ficar procurando easter eggs dos filmes ❤

Desde o ano passado eu quero ler algo da Victoria Schwab e finalmente tomei coragem e comecei “This Savage Song” e QUE LIVRO MARAVILHOSO. Simplesmente devorei o livro, precisava saber mais sobre aquele mundo monstruoso e sobre aqueles personagens extremamente bem escritos. Tudo ia muito bem até que eu peguei “As Quinze Primeiras Vidas de Harry August” e gostei dos primeiros capítulos, mas lá pela metade do livro eu precisava de um sacrifício para conseguir ler uma página, sendo assim, tive que desistir.

Por último, mas não menos importante comecei o tijolinho chamado “Front Lines” e ele já etá na lista de favoritos da vida, por motivos de: 2ª guerra mundial com cenas de batalha escritas de forma bem real e personagens cativantes desde a primeira página. Quero o próximo livro para ontem!!!

As compras:

comprados-fevereiro-2017

Comprei três livros esse mês, mas dois só vão chegar em março. “O Rouxinol” é um livro que já li e amei, mas ainda não tinha ele. “Confissões do Crematório” é Darkside e tava barato, então é uma compra automática kkk e por último “Queen of Shadows” que vai me matar de ansiedade até ele chegar.

 

Resenha: Vocação Para o Mal – Robert Galbraith

vocacao-para-o-mal-robert-galbraith-editora-rocco-j-k-rowling-pseudonimoTítulo: Vocação Para o Mal
Autor: Robert Galbraith
Editora: Rocco
Páginas: 496

Sinopse: Quando um pacote contendo a perna decepada de uma mulher é entregue a Robin Ellacott, seu chefe, o detetive particular Cormoran Strike, suspeita de quatro pessoas de seu passado que poderiam ser capazes de tamanha brutalidade. Mas quando a polícia foca no suspeito que Strike tem cada vez mais certeza de que não é o criminoso, ele e Robin precisam correr contra o tempo para descobrir a verdade. Depois de O chamado do Cuco e O bicho-da-seda, o terceiro romance da aclamada série escrita por Robert Galbraith, pseudônimo de J. K. Rowling, é um suspense inteligente, com reviravoltas inesperadas a cada página, e também a emocionante história de um homem e de uma mulher numa encruzilhada em suas vidas pessoais e profissionais. – via Skoob


No volume mais recente da série de Robert Galbraith (pseudônimo de J.K. Rowling) enncontramos Robin tentando conciliar seu desejo de ter uma carreira como detetive com o seu relacionamento cada vez mais conturbado com o noivo Matthew. A situação piora quando um pacote contendo um pedaço de uma perna é entregue a Robin quando ela chega para trabalhar. Strike entende que isso é uma ameaça pessoal e rapidamente cria uma lista de possíveis suspeitos com quem ele teve problemas no passado.

Quando o caso vaza para a imprensa, muitos clientes ficam com medo e acabam o contrato com Strike, fazendo com que o escritório enfrente novamente problemas financeiros. Enquanto isso Robin descobre segredos do passado de Matthew e a relação dos dois fica cada vez mais complicada.

Sem dúvidas, esse o livro que eu mais gostei da série. Ao contrário dos anteriores, a resolução do caso não é obvia e fiquei criando teorias quase até o final da história. Apesar de ter demorado séculos para passar pelos primeiros capítulos, eu não conseguia parar de ler até saber tudo sobre o caso e sobre o passado tanto do Strike como o da Robin.

Já falei isso em todas as resenhas da série e vou repetir: o grande destaque desses livros são os personagens e como eles se desenvolvem ao longo da trama. Dessa vez o foco é o passado dos protagonistas e o que eles fizeram para chegar onde estão e como tudo que eles viveram pode ajudar a resolver o caso. É impossível não se importar com eles e querer saber o que acontece em seguida depois de ler “Vocação Para o Mal”.

O livro responde muitas questões que foram abertas durante os volumes anteriores, mas ao mesmo tempo essas respostas abrem uma série de possibilidades de como os personagens vão reagir e qual será o futuro da carreira e da vida pessoal dos dois.

Agora só resta esperar o lançamento do próximo livro que ainda nem tem um título. 😦

4/5

4/5

postporrrrr