Resenha: Toda Luz Que Não Podemos Ver – Anthony Doerr

“Quem sabia que o amor poderia matar?”

IMG_3460.PNG

Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. Quando a menina fica cega, aos seis anos, o pai constrói uma maquete em miniatura do bairro onde moram para que ela seja capaz de memorizar os caminhos. Na ocupação nazista em Paris, pai e filha fogem para a cidade de Saint-Malo e levam consigo o que talvez seja o mais valioso tesouro do museu. Em uma região de minas na Alemanha, o órfão Werner cresce com a irmã mais nova, encantado pelo rádio que certo dia encontram em uma pilha de lixo. Com a prática, acaba se tornando especialista no aparelho, talento que lhe vale uma vaga em uma escola nazista e, logo depois, uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádio responsáveis pela chegada dos Aliados na Normandia. Cada vez mais consciente dos custos humanos de seu trabalho, o rapaz é enviado então para Saint-Malo, onde seu caminho cruza o de Marie-Laure, enquanto ambos tentam sobreviver à Segunda Guerra Mundial. – via skoob

Adoro livros que tem a Segunda Guerra Mundial como cenário e Toda Luz Que Não Podemos Ver faz com que você se imagine sobrevivendo junto com os personagens. Nem precisa dizer que eu chorei e quase atirei o livro pela janela em plena madrugada.

IMG_3461

Marie-Laure é uma garota incrivelmente fofa e que infelizmente ficou cega com seis anos, o livro acompanha a vida dela a partir dessa idade, passando pelo momento mais tenso da guerra com apenas 16 anos. Eu amei ela e sua paixão pelos livros e pelas pessoas ao redor dela. Ao mesmo tempo conhecemos Werner, um órfão inteligente e apaixonado por ciência, ele consegue estudar e se torna um especialista em rádios, é enviado para a guerra em uma unidade especializada. A medida que ele vai ficando mais velho, vai entendendo que a guerra não é tudo aquilo que ele escuta nas propagandas de Hitler.

“Ele pensa: A única coisa que gostaria de fazer é ficar sentado aqui ao lado dela durante mil horas.”

O livro se divide entre a infância dos personagens e um dia super tenso durante a guerra em que os dois correm perigo. Alguns capítulos são sobre a Marie-Laure e outros sobre o Werner. E eu passei o livro todo tentando entender a relação entre esses dois personagens e quando entendi o choro começou.

Eu amei a história, amei os personagens e o mais importante eu amei o final. O livro é muito bem escrito, nas partes da Marie-Laure o autor descreve cheiros e sons e mesmo assim consegui imaginar exatamente o que estava acontecendo.

Vale muito a pena ler, se apaixonar pelos personagens e chorar logo em seguida.

“Abram os olhos e vejam o máximo que puderem antes que eles se fechem para sempre.”

5/5

5/5

toda luzpost2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s